As Armadilhas da Língua Portuguesa

10 de Novembro de 2019

 

Você, já teve alguma dúvida na hora da escrita?

Hoje, 10/11, Dia da Língua Portuguesa, selecionamos algumas das “armadilhas” mais comuns na hora da escrita.

 

MAU” OU “MAL”?

MAU é sempre adjetivo, e significa “ruim”, “imperfeito”, que causa prejuízos. É antônimo de bom, faz o plural com maus e o feminino é má. Ex.: Aquele artista sempre fazia o papel de homem mau.

MAL pode ser classificada como advérbio de modo, quando significa “incorretamente”, “erradamente”. Nesse caso, é invariável e seu antônimo é o advérbio bem. Como advérbio, refere-se sempre a um verbo. Ex.: Ela comia muito mal. 

 

PORQUÊS”:

Uso dos porquês:

POR QUE: usado como pergunta no início da frase. Ex.: Por que foi embora?

PORQUE: usado como resposta. Ex.: Porque choveu.

POR QUÊ: usado como pergunta no fim da frase. Ex.: Atrasaram por quê?

PORQUÊ: usado como substantivo. Ex.: Você sabe o porquê disso.

 

MAS” OU “MAIS”?

“MAS” é usado principalmente como conjunção adversativa, indicando uma ideia de oposição. Pode ser substituído por: porém, todavia, contudo. Ex.: Fiz o máximo que pude, mas não foi o suficiente.

“MAIS” indica, principalmente, o aumento da quantidade, sendo antônima de menos. Pode ser um substantivo comum, uma conjunção, um advérbio de intensidade, uma preposição ou um pronome indefinido. Ex.: Sílvia é a menina mais bonita da turma.

 

EM VEZ DE” OU “AO INVÉS DE”?

“AO INVÉS DE” é uma locução prepositiva usada como oposição e tem o significado de “ao contrário de”. Deve ser usada quando há a ideia de oposição. Ex.: Ao invés de descer, o elevador subiu.

“EM VEZ DE” é uma expressão usada como substituição e é mais empregada com o significado de “em lugar de”. Ex.: Em vez de estudar, ficou brincando com os amigos.

 

ONDE” OU “AONDE”?

As duas formas fazem parte da classe dos advérbios e estão corretas, porém, cada uma delas deve ser usada em situações distintas. 

ONDE indica o lugar em que algo ou alguém está. Refere-se, normalmente, a verbos que indicam estados de permanência, ou seja, ausência de movimento. Equivale à expressão "em que lugar". Ex.: Onde está seu filho?  / Não sei onde ficaremos nas férias de inverno.

AONDE também indica lugar. No entanto, deve ser usado com verbos que indicam movimento. Equivale à expressão "a que lugar". Ex.: Aonde ele vai?  / Aonde devo ir para comprar esses produtos?

 

COMPRIMENTO” OU “CUMPRIMENTO”?

As duas palavras existem na língua portuguesa e estão corretas. Porém, os seus significados são diferentes e devem ser usadas em situações diferentes.

COMPRIMENTO refere-se a tamanho, indicando uma extensão longitudinal, vertical ou temporal. Ex.: O comprimento da calça está certo!

CUMPRIMENTO refere-se a uma saudação e elogio, quando referente ao verbo cumprimentar. Ou ainda, ao ato de concluir alguma obrigação ou tarefa, quando referente ao verbo cumprir. Ex.: Dê meus cumprimentos à sua mãe.  / É importante que haja o cumprimento das regras. 

 

"ACERCA DE", "A CERCA DE" OU "HÁ CERCA DE"?

Apesar das pronúncias serem iguais, os significados das expressões “acerca de”, “a cerca de” e “há cerca de” são diferentes.

"ACERCA DE" é uma locução prepositiva e equivale a "sobre", "a respeito de". Ex.: Estávamos conversando acerca de educação. / Eles falavam acerca de política.

"A CERCA DE" indica aproximação. Ex.: Minha família mora a cerca de 2 km daqui.

"HÁ CERCA DE" indica tempo decorrido. Ex.: Compraram aquela casa há cerca de três anos. Não nos falamos há cerca de dois meses.

 

TRAGO” OU “TRAZIDO”?

O verbo trazer não é abundante, ou seja, não apresenta mais de uma forma de particípio. Apresenta apenas a forma regular “TRAZIDO”. Ex.: Ele havia trazido.

“TRAGO” só existe como primeira pessoa do singular (eu) do presente do indicativo do verbo TRAZER ou do verbo TRAGAR. Ex.: Eu trago um copo para você. (verbo TRAZER) / Eu trago a fumaça dessa cidade. (verbo TRAGAR).

 

DEMAIS” OU “DE MAIS

“DEMAIS” pode ser um advérbio de intensidade com o sentido de "excessivamente", "demasiadamente". Ex.: O garoto perdeu a hora da prova do Enem e gritou demais. / Adorava o ator, achava-o demais!

“DE MAIS" é uma locução adjetiva que acompanha substantivos, corresponde a “a mais” e seu oposto é de “de menos”. Também é associada à estranheza. Ex.: "Nem sal de mais, nem de menos". / "Não vejo nada de mais naquilo". 

 

AFIM” OU “A FIM DE

“AFIM” pode ser adjetivo ou substantivo e, nos dois casos, é associado a "parecido", "similar" e "semelhante". Ex.: Suas ideias são afins. / Possuem temperamentos afins; por isso se relacionam tão bem.

“A FIM DE” é locução prepositiva e está ligada à ideia de intenção ou finalidade. Ex.: Aceitei ir à festa a fim de conhecê-lo melhor. / Fez tudo aquilo a fim de nos convencer de sua inocência.

Mais destaques